Política, Sociedade, Educação, Búzios, meio ambiente, Região dos Lagos

Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://ipbuzios.blogs.sapo.pt

Espaço de discussão dos acontecimentos políticos de Armação dos Búzios



Domingo, 12.01.14

Os muquiranas da política buziana

Pediculus humanus (piolho), foto Wikipédia


Muito se falou a respeito das possíveis causas das inundações ocorridas em vários bairros de Búzios no dia 18 de dezembro e do derrame, uma semana antes,  de grande quantidade de esgoto na praia Rasa via rio Una.  As inundações teriam ocorrido devido à falta de limpeza periódica dos bueiros, inexistência de rede de drenagem em todos os bairros, impermeabilização do solo com a construção desenfreada de condomínios ao longo dos anos, maior adensamento populacional com as liberações irregulares de construções, etc. Já o derrame- explicou-se oficialmente- não seria de esgoto mas VINHOTO, proveniente de uma indústria de álcool instalada nos arredores.

Excetuando-se a explicação “oficial” do VINHOTO, por risível, e que não convenceu a ninguém, todas as outras causas apontadas têm sua razão de ser. Mas a meu ver tem uma causa que não foi apontada por ninguém e que pra mim é a principal, porque ela é a razão de ser da  existência das outras: a presença dos muquiranas na política buziana. 

Segundo o dicionário do Aurélio, muquirana é um “piolho de pele”, um inseto, um “ectoparasito do corpo humano”. Tem também o sentido de “avaro”, “maçante”, muito usado em outros estados brasileiros. Aqui no Rio de Janeiro- interpretação que vou utilizar- o termo é usado como inseto e parasito. Uma pessoa muquirana é uma pessoa menor (inseto) que não trabalha e que se habituou a viver a custa alheia (parasito).

O muquirana da política buziana, em geral, possui pouco estudo, não tem uma formação profissional regular e tem pouca cultura. Possui também baixa estima. Por não ser bem sucedido na vida profissional e financeira vê na política uma forma de se dar bem. A primeira coisa que faz é se filiar a um partido qualquer, escolhido não pela sua ideologia, isso não importa nem um pouco, mas pela possibilidade de através dele conseguir uma boquinha na Prefeitura ou na Câmara de Vereadores. Em geral, o muquirana opta por um partido da base do governo. São estes partidos os que dispõem de maiores ofertas de empregos. Em último caso, pode ser mesmo um partido de oposição, desde que tenha representação no Legislativo, afinal a Casa também é grande empregadora.

Os muquiranas buzianos, como parasitas que precisam sobreviver do sangue alheio, conhecem como ninguém os meandros dos bastidores da Política local. Por isso sempre concorrem, desde a emancipação, a uma vaga no Legislativo buziano. Concorrem não pra ganhar, mas porque sabem que precisam, a cada eleição, aferir seu cacife político pra negociar um cargo à altura de seu desempenho eleitoral. Já entram na disputa, recebendo alguma remuneração mínima. Alguns, negociam sua desistência no mercado negro eleitoral, e passam a apoiar, ainda durante as eleições, determinado candidato com mais chances eleitorais. Em geral, este candidato apoiado já tem mandato. Podem receber algum dinheiro em espécie durante o processo eleitoral, mas o objetivo final são os cargos comissionados de livre provisão do Prefeito e da  Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Por sinal, os melhores empregos da Cidade. Os muquiranas podem ser tudo, menos bobos. 

 Não precisamos nem citar os nomes deles porque os muquiranas da política buziana são muito bem conhecidos. Vivem rondando os gabinetes dos vereadores e as secretarias municipais. Seus nomes constam da relação dos mais de 150 candidatos a vereador nas eleições municipais. Como só se elegem 9, tirando talvez mais meia dúzia de candidatos pra valer, o que sobra é formado de muquiranas. Formam um verdadeiro bando de parasitas em busca de sangue público. 

Alguns um pouco mais articulados assumem cargos de direção em partidos com sede em Búzios. Normalmente indicados por algum deputado ou senador também muquirana. Digo isto porque não existem apenas muquiranas pobres. Existem também muquiranas de colarinho branco. E como? Mas estes deixaremos para um outro artigo.

E o que tem isso a ver com as inundações e derrame de esgoto na Praia Rasa? Vou tentar explicar. O muquirana como parasita que é, precisa de sangue alheio pra sobreviver. Na política buziana isso significa emprego público. Este é o sangue que necessita, que o alimenta. Emprego público significa recurso público. Como são centenas deles, muitos recursos, que poderiam ser investidos na Cidade em saneamento e drenagem, são direcionados pra sustentar esta turma de parasitas. Como assumem os empregos públicos a partir de acordos pré-eleitorais, não são demissíveis. Por isso, muitos deles não se dão nem ao trabalho de aparecer no emprego. Têm estabilidade de muquirana oficial. 

Acredito que os muquiranas da política buziana consumam atualmente 13 milhões de reais por ano de nosso orçamento. O cálculo é simples de fazer. Considerando, a grosso modo, que tenhamos 600 cargos comissionados e 300 de contratados,  e que a Cidade funcionasse muito bem com 150 comissionados em cargos de Chefia, Direção e Assessoramento, e que os contratos pudessem ser reduzidos para 100, teríamos eliminados 550 cargos (350 comissionados e 200 contratados). Multiplicando-se este valor por R$ 2.000,00- salário médio do funcionalismo público municipal- obteríamos 1.100.000,00 por mês de economia com a folha de pagamento dos muquiranas, o que dá 13.000.000,00 por ano. Este valor equivale a 6,5% de nossas receitas totais. Só pra comparação, em 2013 tivemos apenas 3% de capital de investimento, ou seja 6 milhões de reais. Porque? Porque os muquiranas (da política e das terceirizações) consumiram todo o resto.
    
Nosso primeiro prefeito resolveu não investir recursos públicos em saneamento (inclui também drenagem), assinando o contrato de  terceirização do serviço com o Governo do Estado do Rio de Janeiro em 1997, porque vislumbrou a possibilidade de reservar estes recursos para investir nos muquiranas do seu curral eleitoral em formação. Nossa primeira Câmara de Vereadores seguindo a vontade do Prefeito, abriu mão de suas prerrogativas, delegando ao Consórcio Intermunicipal Lagos São João o poder de estabelecer nossa política de saneamento. É por isso que a Prolagos faz o que quer em Búzios e nossas autoridades municipais não fazem nada. 

De lá pra cá, todos os governos adotaram a política muquirana de sustentar parasitas com dinheiro público. É por isso que não temos um tostão pra tratar de nosso esgoto e fazer drenagem de nossas ruas. Não temos dinheiro nem mesmo para a contrapartida necessária em possíveis convênios que venham a ser assinados com o governo federal e estadual. 

Dos outros muquiranas de colarinho branco- alguns muquiranas empresários terceirizados- falarei em outro artigo. Adianto que eles, assim como os muquiranas da política, também sugam dinheiro público em terceirizações desnecessárias e caras. Também são co-responsáveis pelas inundações e pela falta de saneamento básico em nossa Cidade.

 Resumindo: ou o povo de Búzios acaba com os muquiranas ou eles acabam com Búzios!

Comentários no Google+:






Satyro Edmilson

 comentou em uma postagem do Blogger.
Shared publicly  -  7:17 PM
Muito bom ! Deu uma Bela aula como  sempre LUIZ.  Pois se houvesse vereadores que tbm não sustentassem Muquiranas e tbm não fosse . A nossa Cidade realmente seria bem melhor. Pois eles tem o poder p/ combater os muquiranas mas não fazem por que também fazem parte do ninho.

Comentários no Facebook:







  • Claudio A. Agualusa Muito bom Luiz, essa praga tem que acabar!!!!


    • Luiz Carlos Andrade é, quanto dinheiro gasto com essa turma que carrega o paleto de seus chefes.

    Autoria e outros dados (tags, etc)

    por ipbuzios às 13:29


    Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



    Mais sobre mim

    foto do autor


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Pesquisar

    Pesquisar no Blog  

    calendário

    Janeiro 2014

    D S T Q Q S S
    1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031